É, espero que sim

If all the beasts were gone, men would die from a great loneliness of spirit, for whatever happens to the beasts also happens to the man. All things are connected. —Chief Seattle [Unknown Photographer]

Não sei exatamente como reagir. Eu mesma achei que havia reagido de forma exagerada. Isto é, meu corpo, minha cabeça. Eu não queria que as coisas fossem assim, mas acontece. Não se trata do acontecido, eu acho, mas da forma de apresentação. Imagine como um “obrigada” sendo um “valeu aí mlk”. Existe uma falta de concordância. Veja bem, quando você agradece de todo o coração por algo, você escolhe o “obrigada”. Eu acho isso por que é uma forma muito mais genuina de agradecimento. Sei que o “valeu mlk” conta, mas para mim… Para mim não é assim.
O caso é que tenho pensado bastante na vida. Eu ainda estou lendo Senhor dos Anéis. Tô no final, mas eu acho que, para mim, ja passou o momento de ler isso. Queria ler algo existencialista, sentimental. Queria ler algo que me fizesse chorar, que me fizesse lavar a alma. Mas eu preciso terminar esse livro.
Eu tenho chorado muito, também.
É estranho por que é como se eu estivesse assim o tempo todo. Triste. Eu rio no dia a dia e faço piadas, mas é como se algo estivesse fundo demais, cravado lá no meu íntimo. Como se eu tivesse o mundo nas costas, e por uma besteira.
Acho que eu nunca lidei bem com rejeição, mesmo. Não por que sempre me diziam “sim”, mas por que quando me disseram “não”, foi forte demais. Eu lembro que quando eu era mais criança e meus pais se separaram, eu não fiquei tão triste. Eu lembro que mamãe ficou em Brasília uma época. Morei lá e voltei, ela ficou ainda mais um tempo. Lembro de desenhar minha vida com a minha mãe e sem. Mas voltando, até hoje eu me sinto meio rejeitada por causa do divórcio. Papai saiu de casa. Sua esposa não era das mais legais comigo, mas não é por isso. Hoje, eu acho que ela percebeu a besteira que fez, já que eles já tem duas filhas pequenas. Eu sinto falta disso hoje. Sabe aquele momento quando você está assistindo televisão e, de repente, confessa algo? Eu sinto falta disso. Eu sinto falta de alguém pra me aconselhar, além de mãe e irmã. Eu quero alguém que me veja chorar e que me abrace, dizendo que eu mereço algo melhor. Queria alguém que ficasse orgulhoso quando eu tiro dez nas provas. Eu sinto falta de tanta, tanta coisa. De tanta gente, de tanto tempo. Eu fico pensando como seria se meus pais ainda estivessem juntos. Mamãe ia acompanhar o ínicio dos cabelos brancos do papai. Ele ia presenciar o fim da menopausa dela. Compartilharíamos tanto juntos. São coisas do dia a dia que fazem uma falta tremenda. Acho que por isso, também, eu tenho aversão a traição e a tudo relacionado a isso. Acho que por isso o meu corpo reagiu tão mal. Estou sem comer direito tem uns dois dias já, eu acho. Enjoada com cheiro, aspecto, gosto, tudo.
Eu espero que seja só medo de rejeição mesmo.
É, acho que é.

Advertisements

Só algumas influências

No último post comentei o quanto eu gostava de Tarzan. Na verdade, ainda gosto. Pensando nisso, fui catar músicas e momentos da televisão que me marcaram na infância. Acho que muita coisa acaba sendo decidida nessa época, e os filmes, os programas de televisão influenciam demais a cabeça das crianças. É natural, ainda mais quando a TV é um meio de comunicação tão comum

Acho que Mulan foi um dos filmes mais fodásticos na Disney. Sério mesmo, a cena dela escalando e jogando a flecha pro comandante é demais, nossa.

 

Aaah, Hércules. Adorava, tanto o filme como o jogo pra video game do meu primo, haha. Adorava as “deusas” cantando. São as melhores cenas do filme.

 

Não achei o vídeo que eu queria, nem em inglês, como esse ): Super preferia a parte do super luper hiper liper pulo do Tigrão ): Segundo desenho favorito, haha.

 

NÃO poderia faltar. ADORAVA Castelo Rá Tim Bum

 

E por último, porém não menos importante:

 

Hehehe. E esse foi o post de hoje! Ah, e vocês podem acompanhar o blog pelo Facebook 😉